Lia Clark e Gloria Groove tremem tudo no clipe de Terremoto

Foi divulgado na tarde desta quarta-feira (9) o clipe da música Terremoto, parceria entre as drag queens Lia Clark e Gloria Groove. O clipe conta com a direção de Felipe Sassi.

Com referências de todos os clipes anteriores, a nova produção de Felipe Sassi trás muita coreografia, looks icônicos e as duas queens juntas além da critica social a fake news da “mamadeira de piroc*” e também ao pink money.

Laerte nos cinemas

O filme A Cidade dos Piratas, dirigido por Otto Guerra (mesmo diretor do ótimo Wood & Stock – Sexo, Orégano e Rock’n’Roll, inspirado na obra de Angeli), traz para o cinema o universo mental deste grande ícone da cultura nacional, a intelectual do traço Laerte Coutinho: seus personagens, seu traço, sua ironia, sua finesse… Parece ótimo.

Karol Conka chama pra dançar Linn da Quebrada e Gloria Groove em “Alavancô”

A mais nova música de Karol Conka chamada “Alavancô” tem encontro inédito com Linn da Quebrada e Gloria Groove.

Boss In Drama é o responsável pela produção que já trabalhou em vários hits de Conka e misturam ritmos como funk, rap e tango

Confira a lyric vídeo

Canabinóides podem ser úteis no tratamento dos efeitos colaterais do câncer e tratamento do câncer

Inúmeras pessoas acreditam que a maconha é uma cura bem-sucedida do câncer.

Pela lei federal, possuir cannabis é ilegal nos Estados Unidos, a menos que seja usado em ambientes de pesquisa aprovados. No entanto, um número crescente de estados, territórios e o Distrito de Columbia aprovaram leis para legalizar a maconha medicinal. 

A cannabis contém canabinoides , também chamados de fitocanabinoides, que causam efeitos semelhantes a drogas no organismo, incluindo os sistemas nervoso central e imunológico .

O principal canabinóide psicoativo da Cannabis é o delta-9-THC, enquanto outro canabinóide ativo, o canabidiol (CBD), pode aliviar a dor e diminuir a  inflamação sem causar efeito psicoativo do delta-9-THC.

O site do Instituto Nacional do Câncer, que faz parte do Departamento de Saúde dos EUA, indica que ‘os canabinóides podem ser úteis no tratamento dos efeitos colaterais do câncer e do tratamento do câncer’.

O site também acrescenta que não foram encontrados estudos em andamento de cannabis como tratamento para câncer em pessoas no banco de dados CAM no PubMed, mantido pelo National Institutes of Health. No entanto, pequenos estudos foram realizados, mas seus resultados não foram relatados ou sugerem a necessidade de estudos maiores.

A cannabis e os canabinóides foram estudados como formas de gerenciar os efeitos colaterais do câncer e das terapias contra o câncer, incluindo dor, náusea, perda de apetite, além de dor e ansiedade.

O Instituto Nacional do Câncer sugere que estudos em laboratório e em animais demonstraram que os canabinóides podem matar células cancerígenas enquanto protegem as células normais. Eles podem inibir o crescimento do tumor, causando a morte celular, inibindo o crescimento celular e bloqueando o desenvolvimento dos vasos sanguíneos necessários para o crescimento dos tumores.

No entanto, os pesquisadores acrescentaram que, na época, há uma falta de evidência que recomende aos pacientes inalar ou ingerir cannabis como tratamento para sintomas relacionados ao câncer ou efeitos colaterais da terapia contra o câncer.

A maconha tem sido comumente usada por pacientes doentes com algum tipo de câncer como forma de aliviar a dor em vários estados dos EUA, onde é legal para aplicação medicinal. 

No entanto, The Cancer Research Charity explica cautelosamente que não há evidências confiáveis ​​suficientes para provar que os canabinóides, naturais ou sintéticos, podem efetivamente tratar o câncer em pacientes, embora a pesquisa esteja em andamento em todo o mundo.

Portanto, embora a maconha e seus derivados possam ajudar a aliviar os sintomas relacionados à doença e à terapia, ainda não há evidências clínicas de sua eficácia anticâncer.

Fonte: Healthy Food House